Arquivos do Blog

Nossa Senhora de Lourdes

bernadette-mary-paintingAs aparições de Nossa Senhora de Lourdes começaram no dia 11 de fevereiro de 1858, dizem que apareceu em 1874, quando Bernadette Soubirous, camponesa com 14 anos, foi questionada por sua mãe, pois afirmava ter visto uma “dama” na gruta de Massabielle, cerca de uma milha da cidade, enquanto ela estava recolhendo lenha com a irmã e uma amiga. A “dama” também apareceu em outras ocasiões para Bernadette até os dezessete anos.

Bernadette Soubirous foi canonizada como santa, por suas visões da Virgem Maria. A primeira aparição da “Senhora”, relatada por Bernadette foi em 11 de fevereiro. O Papa Pio IX autorizou o bispo local para permitir a veneração da Virgem Maria em Lourdes, em 1862.

Em 11 de Fevereiro de 1858, Bernadette Soubirous foi com a irmã Toinette e Jeanne Abadie para recolher um pouco de lenha, a fim de vendê-la e poder comprar pão. Quando ela tirou os sapatos e as meias para atravessar a água, junto às da gruta de Massabielle, ela ouviu o som de duas rajadas de vento, mas as árvores e arbustos não se mexeram. Bernadette viu uma luz na gruta e uma menina, tão pequena como ela, vestida de branco, com uma faixa-azul presa em sua cintura com um rosário em suas mãos em oração e rosas de ouro amarelo, uma em cada pé. Bernadette tentou manter isso em segredo, mas Toinette disse a mãe. Por essa razão ela e sua irmã receberam castigo corporal pela sua história. Três dias depois, Bernadete voltou à gruta com as outras duas meninas. Ela trouxe água benta para utilizar na aparição, a fim testá-la e saber se não “era maligna”, porém a visão apenas inclinou a cabeça com gratidão, quando a água foi dada a ela.

gruta_n_s_lourdes

A imagem de Nossa Senhora encontrada na gruta onde ela apareceu

Em 18 de fevereiro, ela foi informada pela senhora para retornar à gruta, durante um período de duas semanas. A senhora teria dito: “Eu prometo fazer você feliz não neste mundo, mas no próximo“. Após a notícia se espalhar, as autoridades policiais e municipais começaram a ter interesse. Bernadette foi proibida pelos pais e o comissário de polícia Jacomet para ir lá novamente, mas ela foi assim mesmo. No dia 24 de Fevereiro, a aparição pediu oração e penitência pela conversão dos pecadores. No dia seguinte, a aparição convidou Bernadette a cavar o chão e beber a água da nascente que encontrou lá. Como a notícia se espalhou, essa água, foi administrada em pacientes de todos os tipos, e muitas curas milagrosas foram noticiadas. Sete dessas curas foram confirmados como desprovidas de qualquer explicação médica pelo professor Verges, em 1860.

A primeira pessoa com um milagre certificado era uma mulher, cuja mão direita tinha sido deformada em conseqüência de um acidente. O governo vedou a Gruta e emitiu sanções mais duras para alguém que tentasse chegar perto da área fora dos limites. No processo, as aparições de Lourdes tornaram-se uma questão nacional na França, resultando na intervenção do imperador Napoleão III, com uma ordem para reabrir a gruta em 4 de Outubro de 1858. A Igreja decidiu ficar completamente longe da polêmica.

O Santuário de Nossa Senhora de Lourdes.

O Santuário de Nossa Senhora de Lourdes.

Bernadette, conhecendo bem o local, conseguiu visitar a gruta à noite, mesmo quando vedada pelo governo. Lá, em 25 de março, a aparição lhe disse: “Eu sou a Imaculada Conceição“. No domingo de Páscoa, 7 de abril, o médico examinou Bernadette e observou que suas mãos seguravam uma vela acesa e mesmo assim não possuíam qualquer queimadura. Em 16 de Julho, Bernadette foi pela última vez à Gruta e relatou que “Eu nunca a tinha visto tão bonita antes“. A Igreja, diante de perguntas de nível nacional, decidiu instituir uma comissão de inquérito, em 17 de Novembro de 1858.

Em 18 de Janeiro de 1860, o bispo local declarou que: “A Virgem Maria aparecera de fato a Bernadette Soubirous“. Estes eventos estabeleceram o culto mariano de Lourdes, que, juntamente com Fátima, é um dos santuários marianos mais frequentados no mundo, ao qual viajam anualmente entre 4 e 6 milhões de peregrinos.

Nossa Senhora do Desterro

2 - Murillo - Fuga para o Egito - Museum of Fine Arts, Budapeste

Murillo – Fuga para o Egito – Museum of Fine Arts, Budapeste

Nossa Senhora do Desterro é um título católico dado à Santíssima Virgem Maria. Representa a fuga da Sagrada Família para o Egito, por isso, também é conhecida como Nossa Senhora da Fuga. É muito venerada na Itália como a “Madonna degli Emigranti“, sendo padroeira daqueles que foram obrigados a deixar sua pátria para se refugiarem ou a fim de procurar trabalho no estrangeiro, portanto, é a padroeira dos refugiados estrangeiros.

Este título possui fundamento bíblico (Mateus 2,13-14), e está relacionado ao fato que ocorreu na época do nascimento de Jesus: logo após a partida dos Reis Magos, um anjo apareceu em sonho para São José, e disse: “Levanta, toma o menino, a sua Mãe, e foge para o Egito; permaneça lá até que eu te avise, porque Herodes procura o menino para o matar”. Ainda durante a noite, São José partiu para o Egito juntamente com Maria, no lombo de um animal, levando Jesus Cristo recém-nascido nos braços.

Foi uma viagem muito longa e difícil, uma vez que Belém situa-se a cerca de 250 quilômetros do delta do Nilo. Uma tradição fixa em Macarié, nas proximidades de Heliópolis, o local da permanência da Sagrada Família. Antigamente calculava-se em sete anos a duração deste exílio. Os autores modernos, porém, acreditam ter sido bem menor.

Várias lendas estão relacionadas ao desterro da Virgem Maria, como a da tamareira, que curvou seus galhos para que Maria pudesse colher seus frutos. Conta-se também que a Sagrada Família foi atacada por ladrões, mas eles não fizeram mal algum a pedido de um dos integrantes – Dimas, “o bom ladrão” – mais tarde crucificado ao lado de Jesus Cristo, e hoje declarado santo.

Após a morte de Herodes, o mesmo anjo avisou a São José que poderiam voltar para Israel. Entretanto, ainda temerosos das atitudes de Arquelau, filho de Herodes, fixaram-se em Nazaré, na Galiléia.

nossa_senhora_desterro3Devoção a Nossa Senhora do Desterro no Brasil

No Brasil, a devoção a Nossa Senhora do Desterro começou no período colonial, com os portugueses, que buscavam consolo e proteção na figura da Virgem Exilada. As primeiras igrejas foram construídas na Bahia e no Rio de Janeiro. Também a cidade de Florianópolis chamou-se durante mais de dois séculos Vila do Desterro, pois nasceu em torno de uma capela construída em 1673.

Atualmente, o santuário da cidade paulista de Casa Branca é o local de maior peregrinação dos devotos de Nossa Senhora do Desterro, devido ao grande número de graças alcançadas por seu intermédio.

É invocada por muitos brasileiros que deixaram o país em busca de melhores oportunidades de trabalho na Europa, EUA, Japão (dekaseguis) e outros países desenvolvidos que acolhem estes imigrantes.

A primeira capela dedicada a Nossa Senhora do Desterro, construída em 1651, marcou o início do reconhecimento da povoação de Jundia/SP. Quatro anos mais tarde, Jundiaí foi elevada à categoria de vila. No dia 28 de março de 1865, a vila foi elevada à condição de cidade.

No ano de 1673, o fundador de Florianópolis, cidade que se chamava Desterro, hoje capital de Santa Catarina, Francisco Dias Velho, trouxe uma imagem de Nossa Senhora do Desterro para a ilha e ali construiu uma pequena capela em honra de Maria do Desterro, iniciando sua devoção no Brasil.

Papa Pio X, quando da construção da Catedral de Florianópolis, dedicou Nossa Senhora do Desterro como Padroeira da cidade. Existem no Brasil muitas cidades que mantém a devoção a Nossa Senhora do Desterro, com capelas e igrejas em sua homenagem.

nossa_senhora_desterro2Santuário na Itália

Santuário de Nossa Senhora dos Emigrantes está a mais de mil metros do nível do mar, foi dedicada à Sagrada Família no exílio do Egito. Carlo Emanuele Meotti, tornou-se o ponto de referência para o seu apostolado entre os imigrantes da montanha de Bolonha e Modena.

Dentro do santuário tem um quadro de pintura à óleo sobre tela do início do século XX, retratando a Fuga para o Egito, um exemplo de todos aqueles que, por diversas razões, tiveram que deixar suas terras em países estrangeiros para procurar um emprego e de melhores oportunidades de vida.

Ao lado da igreja ainda é visível da varanda que dá acesso ao local a primeira pedra do santuário que foi lançada em 08 de setembro de 1902 e foi inaugurado em 1906 pelo Cardeal Domenico Svampa.

O edifício é acessado por uma escadaria larga. O interior tem três naves. Na capela, com uma abside poligonal iluminado por duas janelas laterais dedicado aos emigrantes, é ” A Fuga para o Egito da Sagrada Família “ pintura a óleo sobre tela de cópia do original que foi destruída.

Antes de chegar ao santuário há uma indicação do pequeno santuário, onde reuniram-se os restos mortais de algumas das vítimas do massacre nazista de 1945.

Oração a Nossa Senhora do desterro

Ó Bem Aventurada Virgem Maria, Mãe do Nosso Senhor Jesus Cristo, Salvador do Mundo, Rainha do Céu e da terra, advogada dos pecadores, auxiliadora dos cristãos, protetora dos pobres, consoladora dos tristes, amparo dos órfãos e viúvas, alivio das almas que penam, socorro dos aflitos, desterradora das indigências, das calamidades, dos inimigos corporais e espirituais, da morte cruel, dos tormentos eternos, de todo bicho e animal peçonhento, dos maus pensamentos, dos sonhos pavorosos, das cenas terríveis e visões espantosas, do rigor do dia do juízo final, das pragas, dos incêndios, desastres, bruxarias e maldições, dos malfeitores, ladrões, assaltantes e assassinos.

Minha amada Mãe, eu prostrado agora aos vossos pés, com piedosíssimas lágrimas, cheio de arrependimento das minhas pesadas culpas, por vosso intermédio imploro perdão a Deus infinitamente Bom.

Rogai a vosso Divino Filho Jesus, por nossas famílias, para que ele desterre de nossas vidas todos estes males, nos dê o perdão de nossos pecados, e nos enriqueça com sua divina graça e misericórdia.

Cobri-nos com vosso Manto maternal, ó divina estrela dos montes.

Desterrai de nós todos ao males e maldições. Afugentai de nós a peste e os desassossegos.

Possamos, por vosso intermédio, obter de Deus a cura de todas as doenças, encontrar as portas do Céu abertas, e convosco ser felizes por toda a eternidade. Amém.

Nossa Senhora do Desterro, rogai por nós que recorremos a Vós.

Endereço:

Santuário de Nossa Senhora do Desterro – Rua dos Pelegrinis, 11 – Bairro Desterro – Casa Branca – SP – CEP: 13700-000 – Fone: (19) 3671-1143

%d blogueiros gostam disto: